Áudios de Sarney e Machado sobre Lava Jato, Lula e Dilma

Conversas gravadas por Sérgio Machado com o ex-presidente José Sarney, trazem o ex-presidente dizendo que Lula teria se arrependido da escolha de Dilma e sugere interferências na Lava Jato.



Em áudio, Sarney fala a Machado em interferir na Lava Jato

Ex-presidente promete ajuda a Sérgio Machado ‘sem advogado no meio’.
Três delatores afirmaram que ex-presidente da Transpetro recebeu propina.

fonte: G1 – Jornal Nacional

Sérgio Machado também gravou uma conversa com o ex-senador e ex-presidente da República José Sarney, do PMDB. No diálogo, Sarney fala em interferir na Operação Lava Jato.

A conversa entre Sérgio Machado e o ex-presidente José Sarney também foi gravada em março, segundo a reportagem da “Folha de S. Paulo”.

Sarney prometeu ajuda para evitar que o caso envolvendo Sérgio Machado fosse para a Justiça Federal, em Curitiba, com o juiz Sérgio Moro.

De acordo com a reportagem, Sarney disse que isso deveria ser feito “sem meter advogado no meio”. Sarney mostrou preocupação sobre uma eventual delação de Machado e disse, segundo o jornal: “Nós temos é que fazer o nosso negócio e ver como é que está o teu advogado, até onde eles falando com ele em delação premiada”.

Sérgio Machado respondeu afirmando que havia insinuações, provavelmente da Procuradoria-Geral da República, para que ele fizesse uma delação.

“Mas nós temos é que conseguir isso”, respondeu Sarney, se referindo ao pedido de Machado para que o caso dele não fosse para o juiz Sérgio Moro. E Sarney continuou: “Sem meter advogado no meio!” Machado concordou. Disse que “advogado não pode participar disso de jeito nenhum”; que “advogado é perigoso”.

A estratégia estabelecida por Sarney não fica clara nos diálogos, segundo a reportagem, mas envolvia conversas com o presidente do Senado, Renan Calheiros, e com o senador Romero Jucá. Os dois também foram gravados por Machado.

Sérgio Machado disse que não poderia passar por uma iniciativa apenas jurídica, teria que ser política. O ex-presidente da Transpetro pediu que Sarney entrasse em contato com ele assim que marcasse uma reunião com Renan. E consultou Sarney sobre Romero Jucá: “E o Romero também está aguardando, se o senhor achar conveniente”.

Sarney respondeu que não achava conveniente a presença de Jucá. Machado concordou: “O senhor dá o tom”.

Sarney deixou claro, segundo a reportagem, que concordava com a iniciativa de impedir que o caso de Sérgio Machado fosse para Sérgio Moro.

“O tempo é a seu favor. Aquele negócio que você disse ontem é muito procedente. Não deixar você voltar para lá”, disse Sarney, se referindo à Justiça Federal em Curitiba.

O ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, é citado por pelo menos três delatores da Lava Jato: Delcídio do Amaral, Paulo Roberto Costa e Ricardo Pessoa. Ele teria recebido propina de R$ 500 mil e de R$ 1 milhão.

O ex-presidente José Sarney divulgou uma nota em que reafirma ser amigo de Sérgio Machado há muitos anos. Lembrou que foram colegas no Senado.

Afirmou que as conversas que teve com ele, nos últimos tempos, foram marcadas pela solidariedade, e que muitas vezes procurou dizer palavras que ajudassem a superar as acusações que Machado enfrentava. Disse ainda lamentar que conversas privadas tornem-se públicas porque podem ferir outras pessoas.



Sarney diz, em áudio, que Lula teria se arrependido em escolher Dilma

Em um diálogo inédito, José Sarney e Sérgio Machado falam sobre
a presidente afastada Dilma Rousseff e sobre o ex-presidente Lula.

fonte: Jornal Hoje

Em um novo trecho das conversas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, com políticos do PMDB, o ex-presidente José Sarney diz que Lula teria se arrependido da escolha de Dilma para sucedê-lo na presidência da República./

A conversa foi gravada por Sérgio Machado na casa do ex-presidente José Sarney. Nesse diálogo inédito, eles falavam sobre a presidente afastada Dilma Rousseff e sobre o ex-presidente Lula. O nome de Lula não é citado diretamente, mas para os investigadores fica claro que a conversa é sobre ele.

Machado: Agora, tudo por omissão da Dona Dilma.  
Sarney: Ele chorando. O que eu ia contar era isso. Ele me disse que o único arrependimento que ele tem é ter eleito a Dilma. Único erro que ele cometeu. Foi o mais grave de todos. 

Em gravação citada pela Folha de S.Paulo entre machado e o presidente do senado Renan Calheiros, o assunto também é Lula, mas a conversa é sobre envolvimento do ex-presidente no esquema do mensalão do PT.

Segundo a Folha, Renan Calheiros afirma que Lula havia saído, Ou seja, não processado no mensalão porque os pagamentos ao marqueteiro Duda Mendonça no exterior não foram investigados a fundo quando vieram a público.

Renan: O problema do Lu…por que que o Lula saiu [não foi acusado no processo do mensalão]? Porque o Duda [Mendonça, marqueteiro] fez a delação, na época nem tinha [a lei], o Duda fez a delação, e disse que recebeu o dinheiro fora e ninguém nunca investigou quem pagou, né? Este é que foi o segredo.

Duda Mendonça foi o marqueteiro da campanha vitoriosa de Lula em 2002. Ele acabou absolvido no julgamento do mensalão.

Em outro trecho, também publicado pela Folha, Renan e Machado se referem ao tríplex e ao sitio que os investigadores afirmam que são de propriedade do ex-presidente. Lula nega ser o dono. Os dois citam uma quantia em dinheiro que Lula teria sem mencionar a origem. Reportagem da revista Veja mostrou que a empresa de palestras de Lula teria faturamento semelhante à quantia citada por Machado.

Machado:Botou na real. Aí [inaudível] umas besteiras, como a Marisa diz, besteira. Ele tem R$ 30 milhões em caixa. Como é que não comprou um apartamento, uma p*** [inaudível]. P***, umas m***, um sítio m***, um apartamento m***.

Nas gravações que fez de conversas com integrantes da cúipula do PMDB, Sérgio Machado, mostrou que ajudou aliados. Os diálogos não permitem dizer que tipo de ajuda foi essa. Um deles, segundo os investigadores, foi Gabriel Chalita. Na gravação, machado afirma que contribuiu para o Michel Temer, e faz referência a campanha de alguém que ele chama apenas de menino. Os investigadores identificam esse menino como Challita, que concorreu pelo PMDB à prefeitura de São Paulo, em 2012. Os diálogos não revelam de que forma foi a contribuição.

Machado: O Michel, presidente…lhe dizer…eu contribuí pro Michel.
Sarney: Hum.
Machado:Eu contribuí pro Michel…não quero nem que o senhor comente com o Renan… eu contribuí pro michel pra candidatura do menino…falei com ele até num lugar inapropriado que foi na base aérea…

Sarney, em seguida, aparenta preocupação com a revelação e quer saber se uma ajuda que ele próprio recebeu de Machado é do conhecimento de mais alguém.

Sarney:Mas alguém sabe que você me ajudou?
Machado: Não, sabe não. Ninguém sabe, presidente.

Além das gravações, Sérgio Machado já deu vários depoimentos aos investigadores, que estão agora analisando todas essas informações trazidas pelo ex-presidente da Transpetro. A delação premiada dele foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal e, a partir de agora, começa uma nova etapa da apuração. Os senadores Renan Calheiros, Romero Jucá e o ex-presidente José Sarney podem ser chamados a dar explicações.

O presidente da República em exercício, Michel Temer, negou que tenha pedido doação a Sérgio Machado para a campanha de Gabriel Chalita. Na nota enviada por sua assessoria, Temer diz também que não foi candidato nas eleições municipais de 2012, e não recebeu nenhuma contribuição. O presidente em exercício afirma ainda que nunca se encontrou em lugar inapropriado com Sérgio Machado.

O ex-secretário de Educação da prefeitura de São Paulo, Gabriel Chalita, afirmou, também por nota, que não conhece Sérgio Machado, e que todos os recursos recebidos na campanha dele foram legais, fiscalizados e aprovados pelo Tribunal Regional Eleitoral.

A assessoria de imprensa do Instituto Lula enviou uma nota em que diz que o ex-presidente Lula já teve seu sigilos bancários e fiscais quebrados, analisados e divulgados, e que cabe aos autores das frases e das gravações comentarem suas declarações privadas divulgadas ilegalmente.

A presidente afastada Dilma Rousseff disse que que não vai comentar as declarações de José Sarney e de Sérgio Machado.

O presidente do Senado, Renan Calheiros, também não vai comentar.

O advogado de José Sarney, Antônio Castro de Almeida Castro, disse que o ex-presidente não vai responder fragmentos do que está sendo vazado e que pediu cópia da delação de Sérgio Machado ao STF para poder responder de forma contextualizada.

Antonio Carlos de Almeida Castro também é advogado de Duda Mendonça e, sobre o cliente, disse que a afirmação de que Lula não foi processado no mensalão por causa da delação do publicitário não tem sentido. Almeida Castro disse que Duda não protegeu ninguém, foi processado criminalmente no mensalão e foi absolvido pelo pleno do Supremo.

A defesa do ex-presidente da Transpetro disse que Sérgio Machado não pode se manifestar, porque a delação ainda está sob sigilo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s